Atende ao bem, conquanto as dificuldades que encontres para isso.
*
Nos dias tumultuados do mundo, quando tudo te pareça agitação e
desarmonia, centraliza-te na fé e age construindo o melhor ao teu alcance.
*
Não te impressiones se a chegada de colaboradores se te afigura tardia.
*
Determinados amigos que aguardavas se viram impedidos de corresponder-te à expectativa,
ante a perturbação de pessoas amadas.
*
Outros recearam a extensão do desequilíbrio nas comunidades a que deviam servir e se
afastaram da cooperação que se propunham a efetuar.
*
Muitos observaram que a empreitada lhes exigiria tribulações e problemas e escolheram
permanecer no abrigo doméstico.
*
Alguns outro que te prometeram concurso fraterno, acreditaram no pessimismo que sempre
admite o pior, ainda mesmo quando se veja na mira das mais altas vantagens terrestres e se te
distanciaram da senda, reportando-se à imaginária possibilidade de se defrontarem com
empeço e sofrimentos.
*
Outros muitos ainda, depois de hipotecarem solidariedade, refletiram nas responsabilidades
do serviço a fazer e tomaram outro rumo, crendo que seria ilusão agir no exercício do bem,
quando tantos males infestam o mundo.
*
Apesar de todos os obstáculos, serve e espera. Os companheiros chegarão, porque a
Providência Divina jamais nos abandona.
Por isso mesmo, prosseguirás na tarefa a que te impuseste, compreendendo e edificando sem
reclamar.
Mesmo que as dificuldades te surjam por barreiras quase insuperáveis, não te interrompas e
continua servindo para o bem.
*
Quando a noite se adensa no caminho, envolvendo todos os ângulos do espaço, uma vela
acesa tem o esplendor de uma estrela que descesse do Céu para varrer na Terra a força
negativa da escuridão.

Do livro: Amigo – Psicografia: Francisco Candido Xavier. – Pelo espírito de: Emmanuel.