O progresso na Terra de hoje, compele a criatura a resguardar
profunda atenção, para com duas atitudes essenciais à própria segurança no
comportamento comum: ligar e desligar.
É preciso saber desligar o carro no momento preciso, desligar as
tomadas de força elétrica no instante exato, isolar o fogão, silenciar os
aparelhos de voz, quando necessário.
A imagem é das mais oportunas, em nos referindo à tensão emocional
que caracteriza a maioria das pessoas na vida terrestre contemporânea.
Recorda : tens o teu mundo íntimo a preservar.
Impraticável a execução integral de qualquer tarefa sem a paz de
espírito.
Para isso é imperioso desligar o pensamento das questões que te
possam afligir sem necessidade.
Nunca te desinteressares do bem a ser levado a efeito.
Participar, quanto possível, das iniciativas que visem a melhorar o
recanto em que vives e acentuar a felicidade de todos.
Entretanto, é indispensável desfocar a mente de tudo o que se nos faça
prejudicial ou inútil à própria existência.
Caminhos que não são nossos, pontos de vista diferentes daqueles que
nos orientam os passos, amigos conscientes e responsáveis que se afastam
do melhor a fazer; familiares que voluntariamente nos menosprezam;
deficiências alheias, compromissos que não nos digam respeito, tentações
que não se nos coadunam com o modo de ser, preocupações com o
supérfluo, convites à aventura e assuntos outros que os noticiários infelizes
te despejam à porta, em bases de sensacionalismo, são temas em cujo
desdobramento, os nossos créditos de tempo cairiam na vala das horas
perdidas.
Quanto mais amplos os domínios da evolução, mais vigilância se nos
pede ao senso de escolha.
Em favor de tua segurança e em auxílio à tua rentabilidade de
trabalho, é preciso aprendas, na esfera do pensamento, a ligar e a desligar
para essa ou aquela experiência a fim de bem sentir e melhor produzir.

Do livro: Amigo – Psicografia: Francisco Candido Xavier. – Pelo espírito de: Emmanuel