Muitos companheiros se queixam das perturbações e dos obstáculos que atormentam o
mundo de hoje. E, por isso, não são poucos os que provisoriamente desistem de atuar na
Seara do Bem.
E desculpam-se.
*
Lamentam as legiões de criaturas que se fixam no materialismo, exigindo imediatas
premiações do Plano Físico;
a indiferença generalizada das cúpulas culturais do mundo, ante as construções da fé;
as tendências belicistas na maioria dos povos domiciliados no Planeta que os inclinam para as
calamidades da guerra;
a vulgarização dos excessos no abuso das drogas de misericórdia, destinadas a socorrer aos
doentes;
os milhares de crianças ao desamparo;
o avança da violência;
a multiplicação dos desastres, muitos deles decorrentes da inadequação de vários setores da
atividade humana, ainda em dificuldade para vivenciar o progresso tecnológico da atualidade;
as extravagâncias, em torno das idéias religiosas;
os problemas da solidão individual;
e os processos obsessivos, cada vez mais complexos.
*
Se observas tudo isso, não te desconsoles, nem esmoreças.
Nada sucede à revelia da Providência Divina.
*
Não abandones o instrumento de trabalho que os Mensageiros do Senhor te colocaram nas
mãos.
*
Capacita-te de que se nos achamos todos nós, – os espíritos encarnados e desencarnados, em
ligação com o trabalho evolutivo da Terra, – numa época extremamente conturbada por
renovações e reajustes de variada espécie, é que estamos chamados para servir ao bem,
dentro dela.
Se nós outros, os que aspiramos ao título de servidores, estivermos atentos na execução do
dever que nos cabe, estejamos convencidos de que o Senhor sustentará a felicidade geral sem
problemas.

Do livro: Amigo – Psicografia: Francisco Candido Xavier. – Pelo espírito de: Emmanuel