Cultiva a afabilidade nas áreas do relacionamento com os outros, lembrando a experiência do
lavrador que sabe, por antecipação a espécie de frutos que colherá por viver conscientizado,
quanto às particularidades da sementeira.
*
Não te permitas a fuga de situações que se te afigurem desagradáveis.
Os contatos sociais não se destinam unicamente à lavoura afetiva, em que o salário da
compreensão assegura o incentivo ao trabalho e a alegria de viver.
*
Observa os ensinamentos da vida nas aulas do cotidiano.
Aquele amigo que te parece menos simpático e que habitualmente suportas, tão-só atendendo
a princípios de educação, será provavelmente, em dias breves, o chefe da repartição de cujo
favor talvez dependas futuramente.
Certo companheiro que consideras portador de maneiras estouvadas será provavelmente o
irmão que, em momento oportuno, te arrancará de crises amargas.
A mulher em cuja presença anotas hoje vários defeitos, possivelmente, amanhã te surgirá na
condição de enfermeira prestimosa, amparando-te os seres queridos.
A jovem extrovertida, cujas maneiras agora censuras, talvez depois te apareça por alguém
que se te incorpora à família, erigindo-se no apoio de teus dias, em tempos de provação.
*
Não condenes pessoa alguma.
*
Somos todos irmãos, ante a Providência Divina, interligados no trabalho do dia-a-dia, em
função de nosso aperfeiçoamento mútuo.
*
Aprende a sorrir, servindo sempre.
*
Hoje, pode ser o teu dia de suportar. Amanhã, no entanto, precisarás dessa ou daquela pessoa
considerada difícil que te tolere em momento infeliz. Agora é o teu instante de algo ofertar, a
benefício de alguém. Depois, no entanto, surgirá, talvez sem que esperes, o teu momento de
receber.

 

Do livro: Amigo – Psicografia: Francisco Candido Xavier. – Pelo espírito de: Emmanuel